Notícias

Uma (R)evolução individual e coletiva – O evento

23 de abril de 2019 - 16h47
Por Even More

Revoluções são rupturas – nem que sejam com nossa própria zona de conforto – e o evento que realizamos na última semana veio para isso: me tirar e tirar a vários que ali estavam de um estado de inércia ou de uma trajetória, que agora segue outro rumo.

Leia também: Fashion Revolution amplia discussões sobre indústria da moda

Não é preciso mais uma narrativa sobre os desafios de se produzir um evento ou executar uma ideia. O que, porém, podemos repetir sempre à exaustão são os agradecimentos: a parceria indescritível da Ly Takai, que divide esse projeto com a gente; e a união de uma equipe e apoiadores fantásticos, que desenharam com seus propósitos, a cena de tudo o que aconteceu na última quarta (17).

/foto: Anderson Angélico

/foto: Anderson Angélico

/foto: Anderson Angélico

/foto: Anderson Angélico

/foto: Anderson Angélico

Hoje, escrevemos para readequar nosso discurso depois de tudo o que foi falado, mas principalmente, ouvido. Reconhecer nossos privilégios e tentar, cada vez mais, usá-los para criar diferentes oportunidades que não para nós mesmos. Dizer obrigada pela generosidade de cada pessoa que, dentro da sua própria luta, somou à nossa para mostrarmos que moda é revolução – pessoal e social.

/foto: Anderson Angélico

/foto: Anderson Angélico

Foram 4 painéis que arranharam mais que a superfície costumeira do segmento de moda e beleza. Pilares de sustentabilidade, para falarmos sobre cadeias de produção micro e a percepção sobre lixo e nossa própria relação com a roupa. Beleza, para falarmos sobre discursos urgentes de circularidade, preocupação ambiental e inclusão de uma estética diversa, como nós somos. Ética, para entendermos que comunicar nosso propósito é tão importante quanto praticá-lo numa sociedade que se autorreferencia com a internet. E, por fim, futuro: quais caminhos ainda precisam ser repensados sobre acesso, representatividade, capacitação e como todas essas tendências que se destacam hoje têm potencial para virar um novo modo de sermos e agirmos.

PILARES DA SUSTENTABILIDADE: Heloísa Strobel (Reptilia), Lucas Bettin e Yasmin Lapolli (TRANSMUTA) e Sylvia Cesario Pereira (Consultoria Humanizada) – mediação: Mariana Rosa (Even More).

SIMPLE BEAUTY: a revolução do consumo na beleza. Renata Schaitza (ativista), Josi Helena Souza (beauty artist) e Bruna Vuelma e Gabriela Hoffman (Simple Organic Alameda) – mediação: Carmela Scarpi (Even More).

DA ESTÉTICA À ÉTICA: a comunicação de valores na construção de narrativas. Ariane Santos (Badu Design), Carmela Scarpi (Even More) – mediação: Ly Takai (2becool).

OS ROSTOS DO FUTURO: (ins)urgências não normativas do novo mercado. Isabella Quartarolli (We Are, We Teach), Carolina Lippmann (Blog Lady Fofa), Andrea Greca (BERLIN) e Edi Alves (produtora).

16 pessoas compartilhando suas habilidades, conhecimentos e visões de mundo no recorte mais plural que pudemos viabilizar. Foi uma sequência marcada pelo desfile produzido com peças do Lavô Tá Novo Brechó, para que a gente reveja também a impressão que temos com a matéria-prima que já abriga nosso mundo e despertar um novo olhar para formatos antigos como o do papel da passarela. Pessoas que são do nosso cotidiano, exaltadas como todos devem ser. Uma beleza assinada pela Simple Organic + Tristano falando sobre o fomento a mercados locais que pode sim expandir – aliás, o próprio local que será casa do novo projeto de beauty e clothing experience da cidade. Stella Artois, Bananika, We Are We Teach, Borealis, cada qual em seu nicho abraçando o que de mais valioso temos: o compartilhar aquilo que sabemos fazer com responsabilidade.

beleza do desfile assinada por Simple Organic Alameda + Tristano Peluqueria /foto: Anderson Angélico

Cá Cardoso (Lavô Tá Novo Brechó) e Ana Gheller (Tristano Peluqueria) – o espaço do evento vai abrigar o novo empreendimento de beauty e clothing experience da dupla. / foto: Anderson Angélico

styling do desfile feito com peças Lavô Tá Novo Brechó /foto: Anderson Angélico

degustação com Bananika – orgânica, vegana e natural /foto: Anderson Angélico

modelos e linha do desfile com styling Even More + Ly Takai/ peças Lavô Tá Novo e Reptilia /foto: Anderson Angélico

Tudo foi questionado, afinal, questionar é nosso DNA. E, uma vez que começamos, não tem como parar! O movimento Moda em Revolução é justamente o que se propõe. Nossa primeira ativação, olho no olho, foi esse contato imediato que precisamos com o outro para então continuarmos a nos movimentar em outros meios, transformados. Confira as fotos e até a próxima.

/foto: Anderson Angélico

/foto: Anderson Angélico

espaço Borealis /foto: Anderson Angélico

/foto: Anderson Angélico

make by Simple Organic Alameda /foto: Anderson Angélico

/foto: Anderson Angélico

Sylvia Cesario Pereira /foto: Anderson Angélico

/foto: Anderson Angélico

Heloisa Strobel /foto: Anderson Angélico

espaço Borealis /foto: Anderson Angélico

/foto: Anderson Angélico

Bruna e Gabriela – Simple Organic Alameda /foto: Anderson Angélico

Josi Helena Souza /foto: Anderson Angélico

/foto: Anderson Angélico

Andrea Greca /foto: Anderson Angélico

Edi Alves /foto: Anderson Angélico

/foto: Anderson Angélico

 

Comentários

 
|