Por quê transparência é essencial para uma indústria da moda mais justa?


A crise econômica gerada pela pandemia abriu espaço para que direitos fundamentais sejam desrespeitados deixando ainda mais trabalhadores da indústria da moda em situação de vulnerabilidade. Com a redução drástica do consumo, demissões em massa foram realizadas e, ao mesmo tempo, indústrias como as de equipamentos de proteção e máscaras começaram ou continuaram a reproduzir condições de trabalho precárias e com salários injustos. Para isso, a prática da transparência pelo setor privado se mostra fundamental para que a sociedade possa exercer uma vigilância contínua em lugares que muitas vezes são negligenciados pelo Estado.

Para o Fashion Revolution, transparência significa a divulgação pública de dados confiáveis, detalhados e comparáveis sobre políticas, compromissos, práticas e impactos sociais e ambientais de uma empresa em toda a sua cadeia de valor.  A transparência joga luz nas etapas e relações de trabalho, permitindo enxergar sob quais condições as pessoas produzem as roupas vestimos.

É importante frisar que transparência não é o mesmo que sustentabilidade, apesar de ser uma ferramenta fundamental para que o desenvolvimento sustentável aconteça. Transparência é o primeiro passo para uma transformação positiva na indústria da moda. É uma jornada que o Fashion Revolution, por meio do  Índice de Transparência da Moda (ITM), trabalha de forma propositiva para que as marcas divulguem mais informações sobre o que estão fazendo.

O Índice de Transparência da Moda Fashion Revolution

O Índice de Transparência da Moda (ITM) é uma análise desenvolvida pelo Fashion Revolution, que indica em que medida grandes marcas da indústria estão divulgando publicamente suas informações em prol de uma maior prestação de contas. O projeto existe globalmente desde 2016 e revisa e classifica marcas de acordo com a disponibilização de dados públicos em seus canais sobre suas políticas, práticas e impactos sociais e ambientais.

“Se quisermos evoluir dessa pandemia global para nos tornarmos uma indústria da moda mais equilibrada e consciente, precisamos fazer da escuridão uma coisa do passado e abraçar uma transparência radical como nossa luz guia”. Orsola de Castro, Cofundadora Fashion Revolution.

De que forma o Índice de Transparência da Moda contribui para o desenvolvimento sustentável?

A edição do ITM Brasil 2020 já está em processo de análise de 40 grandes marcas e será publicada em novembro. De acordo com Eloisa Artuso, coordenadora do projeto no Brasil, “alguns grupos de indicadores do questionário do Índice, estão diretamente relacionados aos ODS como, por exemplo, ODS 5: Igualdade de gênero, ODS 8: Trabalho decente e crescimento econômico, ODS 12: Consumo e produção responsáveis e ODS 13: Ação contra a mudança global do clima, o que pode encorajar a criação de estratégias e ações por parte das empresas dentro desses temas.”

O que podemos fazer enquanto consumidores para promover uma indústria da moda mais justa?

Como ressalta a diretora de políticas do Fashion Revolution Global, Sarah Ditty, “consumidores têm muito mais poder do que eles acreditam ou reconhecem. Você exerce o seu poder, obviamente, escolhendo em qual marca você vai gastar o seu dinheiro, pesquisando um pouco mais sobre as práticas dessa marca, mas não é apenas sobre onde gastamos o nosso dinheiro. É também sobre como usamos nossa voz. As marcas estão cada vez mais sensíveis quanto às demandas de seus consumidores, e isso vai além do quanto realmente gastamos com a marca.”

O Fashion Revolution acredita que toda a indústria da moda precisa de uma mudança radical de paradigma e que a maneira como produzimos, vendemos, consumimos e descartamos roupas precisa ser transformada sistemicamente. A transparência ajuda a revelar as estruturas da indústria da moda, para que possamos entender melhor como mudar esse sistema de maneira integral, duradoura e positiva.

Baixe os relatórios das edições anteriores, clique aqui para acessar o Índice de 2018 e aqui para o de 2019

(release enviado por Fashion Revolution Brasil)

________________________

Sobre o Fashion Revolution

O movimento foi criado após um conselho global de profissionais da moda se sensibilizar com o desabamento do edifício Rana Plaza em Bangladesh, em 2013, que causou a morte de mais de mil trabalhadores da indústria de confecção e deixou mais de 2.500 feridos. As vítimas  trabalhavam para marcas globais, em condições análogas à escravidão.

Desde a tragédia do Rana Plaza, o Fashion Revolution mobiliza a sociedade em prol de uma indústria da moda que respeite e valorize a natureza e a vida de todos que fazem parte da sua cadeia produtiva, por meio da conscientização, mobilização e educação. Também promove a união das pessoas, impulsionando a revolução para mudar radicalmente como as roupas são produzidas, consumidas e descartadas, para que elas sejam feitas de maneira segura, limpa e justa.

capa: reprodução /Money Fashion Power Zine

Previous Feiras locais conectam marcas e consumidores agora no formato digital
This is the most recent story.

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *