Daqui

Noiga, fuja do tédio

10 de março de 2015 - 08h49
Por Even More

Um TCC pode ser um marco na vida de alguém. Mas, para além do esforço acadêmico, o projeto de Evelyne Pretti mudou a sua vida e de sua amiga, Renata Trevisan. As duas designers de produto se conheceram na Itália. Muito embora estudassem na mesma faculdade, foi durante um intercâmbio em Torino que se encontraram e começaram alguns trabalhos juntas.

 

De volta ao Brasil, a parceria se estreitou e, o que seria a conclusão do curso de Evelyne – que se formou um ano após Renata, acabou virando a marca Noiga (leia-se nôiga). A inspiração para o nome veio de movimentos de contracultura, mais especificamente da poesia concretista brasileira, com o movimento Noigandres – para saber mais sobre o movimento clique aqui. A busca pela referência na poesia experimental se deu, sobretudo, porque a proposta da marca é introduzir a joalheria experimental, vamos assim chamar.

 

 

Não apenas no design – arrojado e moderno – as amigas querem inovar no método. Isto porque os produtos Noiga são confeccionados por meio da tecnologia de impressão 3D, por sinterização a laser (SLS). Isso mesmo; apesar de estar mais voltado para a indústria, elas reconheceram uma forte tendência internacional da aplicação da impressão 3D como forma de fabricar produtos finais, direto ao consumidor.

 

 

As peças, hoje confeccionadas na Holanda, em breve serão produzidas com tecnologia brasileira, não apenas para viabilizar o preço, como para tornar as peças 100% nacionais. Com tantas propostas novas, elas lançaram a primeira coleção em novembro do ano passado e dialogaram com pessoas que buscam novidades. Uma mulher que veste Noiga é alguém que anseia pelo novo, por fugir do tradicional e, como elas mesmas dizem, do tédio. DNA reflete aquilo que todos temos em comum, mas, que ao mesmo tempo, nos diferencia.

 

[GALLERY ID=27]

 

Pessoalmente, as peças têm uma textura diferente, quase como de pedra, porém são mais flexíveis. Feitas de nylon e, às vezes, alumínio; elas já começam experimentações com cores e produtos em outros metais. Para conhecer a Noiga é preciso ter a mente aberta, desgarrar-se das raízes e mergulhar num novo universo que traz muitas, mas muitas possibilidades. Com coleções menores e recorrentes, elas prometem dialogar com vários estilos, mantendo sempre a inovação como meta. E essa onda começa aqui! 

 

 

Comentários

 
|