Notícias

No mindset slow, lojas em NY são endereço para novos consumidores

15 de janeiro de 2019 - 07h52
Por Even More

Mesmo vivendo o frenesi de Nova Iorque, as meninas do Brusinha Podcast acreditam em novos hábitos de compra e selecionaram 4 lojas essenciais para conhecer na cidade.

 por Brusinha Podcast*
editado por Carmela Scarpi

Como nós pudemos viver na pele, morar em uma metrópole como Nova Iorque, é ter acesso facilitado a todo tipo de produto, o que acaba deixando quem chega por aqui meio perdido no começo. Um verdadeiro mergulho em um ritmo frenético que estimula o consumo na mesma velocidade. Mas morar em uma metrópole como Nova Iorque é também ver o espaço se tornar artigo de luxo o que, com o tempo, te faz diminuir o volume de roupas e acúmulos para que se possa ter mais qualidade de vida dentro de casa.

Leia também: Podcast de moda traz experiência de brasileiras em NY

Num paralelo à crônica da cidade, o slow fashion surge também no caminho contrário ao consumo desenfreado, com a ideia de uma moda mais consciente e sustentável, além de observar o crescimento de marcas com práticas transparentes, preocupadas com os impactos no meio ambiente originalidade e qualidade da peça. E apesar de certo ceticismo de alguns, para nós, já é parte de uma nova filosofia de compras.

Fugir para onde?

Por aqui, é quase inevitável passar por um período de compras desenfreadas. Mas com o tempo, inclusive nós percebemos que o barato é quase sempre aquela peça da moda momentânea ou aquele tecido que desbota/desmancha inteiro com duas lavadas. No fim, sempre acabamos nos perguntando até onde faz sentido ter o armário abarrotado e sempre precisar de outra peça, porque nada daquilo te representa.

Essa reflexão vem influenciando desde consumidores até marcas consideradas fast fashion, que buscam se adequar à nova demanda. Muitos novos negócios estão aparecendo na cidade, cada vez mais modernos, e focados em atingir um público jovem que está por dentro das novidades de tecnologia e tendências.

Perceber o slow como possibilidade é também ter consciência de que a informação está literalmente na palma das nossas mãos. É muito mais fácil comparar preços, pesquisar sobre a marca e como aquelas peças foram produzidas. E pensando neste compartilhamento, separamos nossa seleção de endereços essenciais para quem busca compras sim, mas em um novo mindset:

1 – EVERLANE

Onde | 28 Prince St, New York, NY – Estados Unidos

Ética | Processo de produção justo, radicalmente transparente

Conhecida por | Roupas éticas com valor acessível para homens e mulheres

Tipos de Produtos | Roupas, acessórios e calçados

Preços | $–$$

Rede Social | @everlane

Se você procura por uma marca que mostre um processo justo e transparente, Everlane é ela. Eles passam meses procurando pelas melhores fábricas ao redor do mundo – então constroem uma relação próxima com os proprietários para que assim tenham a certeza de que todo o processo manterá a integridade e produção éticos em cada etapa. A marca revela o custo de cada peça e todas as fábricas por onde ela passou. O estilo é minimalista, com uma estética moderna. Contam com apenas uma loja na cidade (ainda) e já se tornou queridinha por aqui – com filas de espera do lado de fora. É uma ótima opção para quem quer fugir das fast fashion!

Quando estávamos fazendo as fotos percebemos que a fila para provar e pagar eram sempre grandes, mas o interessante é que todas as pessoas estavam sempre saindo com uma ou duas peças. Nada de super sacolas abarrotadas de roupas sem sentido! Por aqui tem sido uma das marcas mais fortes no quesito de representar e proporcionar o que realmente o slow fashion nos traz.

Everlane (foto/Brusinha Podcast)

Everlane (foto/ Brusinha Podcast)

2 – EILEEN FISHER

Onde | 395 W Broadway, New York, NY – Estados Unidos

Ética | Coleções reconhecidas e com selo Fair Trade, materiais e práticas sustentáveis na produção das peças

Conhecida por | Peças de linho orgânico

Tipos de Produtos | Roupas para mulheres e acessórios

Preços | $$$$

Rede Social | @eileenfisherny

Eileen Fisher é uma das marcas líderes na indústria de produtos éticos e sustentáveis. Eles acreditam que o desenvolvimento e injustiças sociais são as razões para fazer um tipo de negócio completamente diferente dos demais. Eles se preocupam muito com a cadeia de produção e são muito exigentes quanto a isso, dessa maneira podem ter certeza que estão oferecendo um produto baseado em mão de obra justa. O objetivo da marca é de até 2020 trabalhar apenas com tingimentos ecologicamente responsáveis, livres de poluição de carbono e sem desperdício de matéria prima. A marca conta com quatro lojas em Manhattan, além de vender na gigante Nordstrom, com alguns preços mais acessíveis.

As lojas têm um tamanho consideravelmente grande, trazendo várias opções de estilo como roupas mais básicas, peças mais elaboradas, roupas de academia e até mesmo vestidos de festa. Tem o formato de uma fast fashion, porém cada passo que se dá dentro da loja você é cercado por informações superinteressantes sobre o processo de fabricação e os projetos da marca.

Eileen Fisher (foto/ Brusinha Podcast)

Eileen Fisher (foto/ Brusinha Podcast)

3 – THE REFORMATION

Onde | 23 Howard St, New York, NY – Estados Unidos

Ética | Feitas nos Estados Unidos, todas as peças são feitas com tecidos sustentáveis, com rastreamento de efeitos no meio ambiente, e pagam salários justos.

Conhecida por | Peças eco-friendly com pegada nas tendências.

Tipos de Produtos | Roupas para mulheres, jeans e vestidos de festa, incluindo noivas.

Preços | $$$

Rede Social | @reformation

Para a fashionista sustentável, a Reformation oferece produtos que podem ser usados em qualquer época do ano. A marca de Los Angeles cria produtos apenas de bases sustentáveis e materiais reciclados. No site da marca, você pode conhecer mais detalhes do processo de produção e o mais legal é que cada roupa vem com uma descrição de sua trajetória.

As lojas contam com a tecnologia para ajudar na experiência de compra. Eles têm os lookbooks digitais dentro dos provadores, onde você pode selecionar uma peça que aparecerá em um armário dentro do provador. Isso atrai muitos consumidores curiosos que vão até lá para viver essa experiência e acabam saindo cheios de informações sobre a marca.

Reformation (foto/ Brusinha Podcast)

Reformation (foto/ Brusinha Podcast)

4 – CUYANA

Onde | New York, NY – Estados Unidos

Ética | Pioneira no movimento “closet enxuto”, a marca se vende com o conceito da necessidade de qualidade e não quantidade.

Conhecida por | Peças básicas e atemporais.

Tipos de Produtos | Bolsas e acessórios de couro, além de roupas básicas femininas atemporais.

Preços | $$$

Rede Social | @cuyana

Hoje baseada em São Francisco, a marca de essenciais chics de alta qualidade para mulheres, começou online com o conceito de menos é mais.  A ideia da marca é simplificar o closet e tudo ao seu redor, doando o que você não ama mais com o objetivo de ajudar quem precisa. A cada compra o cliente ganha uma bolsa reciclável com o intuito de incentivar a doação de peças não utilizadas que serão enviadas a instituição sem fins lucrativos apoiada pela empresa. Além de receber um crédito de $10 por doação para a próxima compra de peças da marca.

A peça mais famosa é a bolsa de couro modelo totem, que custa 95 dólares. Dentro da loja você pode customizar as peças de couro com as suas iniciais, deixando as peças básicas ainda mais especiais e com um apelo de objeto pessoal mais forte. As peças têm um valor um pouco mais alto, porém são incrivelmente bem feitas, tornando o preço justificável. Sem contar que tudo tem um cheirinho maravilhoso (acho que caímos na estratégia de branding deles)!

Cuyana (foto/ Brusinha Podcast)

Cuyana (foto/ Brusinha Podcast)

 

*O Brusinha Podcast é composto por três brasileiras que vivem a rotina de moda em NY, e se uniram para falar sobre o assunto de maneira descontraída. Com informação e visões particulares, Amandha Gaio (fashion designer), Clarice Sgaria (jornalista de moda) e Márcia Zhao (jornalista) postam esporadicamente seus conteúdos pela plataforma soundcloud. Confira a última edição.

Comentários

 
|