Notícias

No mês do Fashion Revolution, Reptilia olha para dentro para registrar em ensaio a equipe por trás da marca

22 de abril de 2019 - 09h47
Por Even More

Marca autoral, Reptilia, conta em narrativa fotográfica a história por trás da loja-ateliê mais querida da cidade de Curitiba e promove ação de reflexão.

O modus operandi da Reptilia é alinhado com princípios éticos e de sustentabilidade, dentro de um método de produção que segue o formato slow fashion. O modelo de gestão, inclusive, garantiu à marca no último ano o prêmio ODS – objetivos do desenvolvimento sustentável – oferecido pelo SESI com a chancela da ONU. E dentro dessa iniciativa, toda a cadeia flui em um mesmo espaço, onde 100% dos processos acontecem numa corrente que promove troca criativa e afetividade.

Leia também: Fashion Revolution amplia discussões sobre indústria da moda

Helô, Kassy, Elu, Carol, Cleide. No endereço da Alameda Prudente de Moraes, 1282 todas as mulheres são próximas, de chamar pelo apelido, e têm um mesmo propósito: ver seu trabalho transformar pessoas. Da concepção criativa à produção e atendimento, o fluxo da Reptilia reflete os valores que a marca entrega em cada peça. Quem capturou de forma singela e delicada esse movimento do fazer acontecer no dia a dia do ateliê foi a fotógrafa Amanda Lavorato.

Os registros representam mais que uma campanha sobre o mês em que o mundo se pergunta sobre quem faz suas roupas. Eles são a lembrança física de que toda a trajetória transmite energia para a peça que você veste. Além do ensaio, a marca participará ativamente das iniciativas da cidade com presença da designer Heloísa Strobel no evento paralelo ao Fashion Revolution em Curitiba, Moda em (R)evolução; e da semana oficial com um talk de abertura no Centro Europeu no dia 23 de abril ao lado da designer Francesca Cordova.

Durante a semana do Fashion Revolution (22 a 27 de abril), quem passar pela vitrine da Reptilia, poderá ver a instalação-manifesto “Quem fez suas roupas?”. O adesivo da fachada instigará os pedestres e clientes a repensar a cadeia de produção até a peça final. Nos dias 24 e 25 de abril, das 11h às 16h, a equipe se revezará costurando ao vivo peças em uma máquina instalada na área da vitrine da loja.

Neste mês também, a marca introduz a nova coleção-cápsula “I wanna dye”, produzida a partir de técnicas handmade de tingimento em tie dye. As intervenções somam com a malharia de qualidade para tendências atemporais, feitas com material remanescente do ateliê numa iniciativa de fechar a cadeia, visto que um dos pilares da Reptilia também é destinar de forma consciente o excedente de produção.

fotos: Amanda Lavorato

Reptilia

Atelier/ Curitiba-PR

Alameda Prudente de Moraes, 1282 – Centro.

2a a 6a: 10-19h /sáb: 11-17h

 

Diária/ São Paulo-SP

Rua Artur de Azevedo, 1315 – Pinheiros

Comentários

 
|