Lições aprendidas com o Globo de Ouro


No último domingo (9) pudemos assistir ao red carpet mais ofuscado da história, visto que, horas depois, a morte do (muso/ídolo/inspiraçãodetodos/viveemnossoscorações) astro do rock, David Bowie, tomou todas as atenções em redes sociais.

 

De qualquer forma, este não será o primeiro nem o último post sobre os vestidos e escolha das atrizes – majoritariamente – que você verá circulando por aí. 

 

Mas assim, queremos te mostrar outras coisas. Coisas que ninguem tenha te dito, talvez. Afinal, até mesmo a cultura pop nos dá a oportunidade de aprender e é sobre essas lições de vida que queremos falar hoje.

 

Então vamos lá:

 

 Nem toda surpresa precisa ser novidade

 

fotos reprodução

 

Preste atenção nas referências do passado. Sim, saber o que aconteceu há algum tempo, entender referências de moda e trazê-las de volta para o presente são uma alternativa muito boa para eternizar um visual e causar um impacto.

 

Vide Katy Perry – sobre a qual muita gente já falou – que trouxe uma releitura castanha de Brigitte Bardot e seu visual romântico sensual.

 

Ou quem sabe Lady Gaga, que praticamente interpretou a Marilyn Monroe na cerimônia. Tanto no cabelo, mais óbvio, quanto no formato da silhueta que -moldado pelo vestido – tinha um ar exagerado e esculpido, como o usado por Monroe.

 

Nenhuma das duas trouxe novidades, mas ambas surpreenderam 🙂

 

Contrarie as regras

 

foto reprodução

 

As regras da moda são muito fluidas. Tudo o que “não pode”, na verdade, pode sim se você souber como fazer. A linha entre o certo e errado é tão tênue, que às vezes muda de um lado para outro e as pessoas nem percebem.

 

Por isso, o legal é ter um conhecimento sobre sua própria aparência, ao invés de seguir à risca o que outras pessoas te dizem.

 

Ruivas não podem usar vermelho? Loiras não podem usar amarelo/bege? Quem disse?

 

Faça de um look monocromático uma explosão de cores

 

foto reprodução

 

Se você acha que roupas monocromáticas são tediosas, você estava enganado. Afinal, não é por que você escolheu um vestido sem bordado, liso e de uma só cor que você ficará sem graça.

 

A despeito dos memes de mostarda, JLo combinou a cor quente da sua pele, com o amarelo do vestido e um batom vermelho que fez muita diferença no visual. Coisa que não teria acontecido se ela colocasse um batom neutro.

 

E o que falar de Laverne Cox que, com um modelo inteiro branco, misturou o vinho do batom com o verde das esmeraldas e deixou tudo tão bonito que ninguém conseguia parar de olhar para ela?

 

Lição para anotar: misture cores fortes e seja feliz.

 

Traje de festa não é sinônimo de brilho e/ou bordado

 

[GALLERY ID=52]

fotos reprodução

 

Há bastante tempo que isso já foi superado, mas existe gente que ainda acredita que vestido de baile, gala e afins; é sinônimo de muito brilho. Não, não é.

 

E, aliás, pare de fazer as pessoas acreditarem nisso. Vejo muitos blogs por aí, ou até mesmo publicações de dress code, com informações equivocadas que reafirmam uma conduta bem limitadora e uniformizante – digamos assim.

 

Claro, é a oportunidade de você se jogar num pote de pedrarias embebida na cola? É.

 

Essa é a melhor opção? Olha, se você gosta, é, ué.

 

Mas por que não se permitir desfrutar do luxo de uma forma mais suave? Sair de uma zona de conforto? Apostar num acessório poderoso? E, quem sabe, trabalhar formas e recortes, ao invés de buscar um impacto visual mais comum como o dos bordados.

 

Não à toa que a maioria dos vestidos das listas de mais bonitos, que rolam pela internet, são de modelos deste estilo.

 

Não importa o que você faça ou diga, alguém sempre te entenderá errado. Então relaxe

 

 

Isso mesmo, a última e melhor lição do 73ª edição do Globo de Ouro é: não siga o que todos dizem, faça como achar melhor, afinal, sempre vai ter alguém dizendo que você estava fazendo errado.

 

Leonardo DiCaprio que o diga. O ator foi até se justificar sobre sua reação a um esbarrão de Lady Gaga, que, convenhamos, era só um susto. Tudo isso para se defender daqueles que já haviam traçado sua personalidade, caráter e merecimento de habitar a Terra por causa de um gif.

 

Reflexões à parte, a questão é que em meio a tantas opiniões prontas, ao alcance de um like, mais feliz é aquele que faz o que quer – pelo menos no mundo da moda.

 

Não é preciso se preocupar muito em agradar a maioria, seguir a tendência, ou obedecer às regras tão severamente. Gaste menos tempo procurando o que os outros vestem e mais em descobrir o que você gostaria de vestir. 

 

Preocupe-se com a sua estética, desenvolva suas características. Não copie, vista-se como você quer ser visto. Se você estiver de acordo com sua personalidade, já é ponto para você – na vida!

Previous Agenda Literária: Janeiro 2016
Next Comprovado: Uso contínuo da Esc. melhora a saúde do seu texto

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *