Dicionário fashion, para ler revistas de moda


Sabe aquela dúvida que pinta quando você está folheando a nova edição de um revista sobre tendências? Pois é, nosso vocabulário muitas vezes não acompanha o ritmo de mudanças no mundo da moda; mas, para te ajudar, separamos algumas expressões atuais e recorrentes para faciltiar sua imersão nesse mundo fashion

 

Quer mais esclarecimentos? Poste a expressão que você nunca entendeu nos comentário aí embaixo e faremos uma parte 2!

 

Normcore

 

 Tem sido recorrente nos textos acerca das últimas coleções das semanas de moda internacionais. Nada mais é do que o “estilo de casa”,  uma roupa despretensiosa e confortável. Que não define muitas distinções de gênero,  mesclando os guarda-roupas feminino e masculino. Quase um levante antifashion que já é velho conhecido da história da moda, como foi o movimento grunge e punk.

 

 

 

Fresh

 

Fresh

Em tradução livre – fresco  a ideia que quer se passar com a expressão, na moda, é exatamente esta. Serve   tanto para inspirar uma maquiagem mais leve, que traga o ar de jovialidade, como roupas leves ou de design   inovador, em contrapartida ao “já visto”.

 

 

 

 

Vintage ou Retrô

 

 

Vintage ou Retrô

  Existe muita confusão na hora de utilizar um dos termos. Mas a distinção é bem simples. O vintage é aquela peça velha mesmo, que  você herdou de alguém, garimpou num brechó e etc, a peça em si, não foi fabricada no presente momento. Já o retrô, por sua vez, é uma peça nova que, contudo, tem inspiração em algum design  mais antigo do que esteja usando atualmente. Ele copia o modelo de décadas passadas, mas é produzido  nos dias atuais.

 

 

Resort ou Cruise

 

Resort ou CruiseQuando você se depara com estas denominações em revistas e sites especializados em moda saiba que estará   diante de variações das tão famosas coleções “cápsula”. Isso, mesmo, para difundir as roupas criadas fora das   temporadas de semana de moda as marcas como Chanel, por exemplo, criaram “mini” desfiles para as clientes   ansiosas por novidades. Elas têm esse nome pois surgiam perto de datas festivas de final de   ano quando muitos iam viajar em cruzeiros e resorts mesmo.

 

 

Ready to wear ou prêt-à-porter

 

Ready to wear ou prêt-à-porter  São as versões em inglês e francês, respectivamente, do que conhecemos como roupas prontas, ou seja, que não são de festa. Geralmente com bem menos conceito do que as apresentadas em desfiles de festa mais elaborados, essa categoria vai à loja, em tese, sem adaptações. Ela será vestida da forma como apresentada na passarela.

 

 

 

Haute Couture/ Alta Costura

 

Haute Couture - Alta CosturaAqui existe uma confusão bem grande por parte de ateliers ao redor do mundo. O termo “alta costura”   (originalmente  haute couture, em francês) surgiu com Charles Frederick Worth, um inglês que produziu   em Paris, em 1858 e foi o primeiro estilista que sobrepôs a  marca e virou objeto de desejo. A partir de então   alta costura refere-se a produção de roupas de festa em escala artesanal, exclusiva e obedecendo à  rigorosos   critérios. Na frança, hoje, o termo é protegido juridicamente e deve ser conquistado pela Maison. No Brasil, não   existe alta costura, o que existe  são ateliers de prêt-à-porter de luxo ou sob medida de luxo, NUNCA, alta costura.   

 

Alta Moda

 

Alta Moda

  O termo alta moda veio para corretamente denominar ateliers e maisons que não atendam aos critérios rigorosos do haute couture, mas que  possuam um método de produção semelhante, artesanal e exclusivo. São as casa que produzem roupas sob medida de luxo.

 

Previous Outubro Rosa, saúde na moda
Next A sétima arte através dos festivais em CWB

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *