Vida real: cuidar das suas roupas é uma atitude sustentável


Especialistas revelam que jogar roupas de lã na máquina de lavar ou torcê-las, pode causar danos ao tecido

A sustentabilidade como já falamos por aqui vai muito além da escolha da matéria-prima (leia mais sobre). Por mais que estudos revelem que o material em si quando inserido na cadeia têxtil corresponda a quase 50% do impacto ambiental da peça, nem toda a responsabilidade reside apenas na indústria. Consumidores têm sua parcela de contribuição nas mudanças quando optam pela forma, local e tipo de roupas que compram, e também na hora de preservá-las para que atinjam o máximo de aproveitamento possível.

Leia mais: Neonyt – sustentabilidade para além da matéria-prima

No estudo The Circular Economy (2017), um dos pilares fundamentais dos novos modelos de negócio circulares é esgotar os recursos até seu fim, para então enviá-los novamente ao início da cadeia (seja transformado ou não). Adaptando para atitudes sustentáveis individuais, isso corresponderia à nossa obrigação de cuidar de cada peça para que quando ela cumprisse sua função em nosso guarda-roupa, possa retornar ao início, seja pelo upcyling, reciclagem ou venda de segunda mão.

Um bem durável

A sócia-proprietária da Lavoutique, Lavanderia & Costura, Birgit Keller Marsili, alerta que no inverno em especial, é muito importante saber interpretar as etiquetas das roupas para evitar estragos no tecido no processo de lavagem. Pelo LinkedIn, a fashion buyer Júlia Picanço também postou recentemente, na série “vestuário na prática”, um conteúdo orientando a importância da interpretação das simbologias de lavagem das peças de roupa. “Vejo o cuidado e amor como o maior ato sustentável que eu poderia aplicar na minha vida, não existe tecnologia que supra esse olhar cuidadoso sobre o vestuário”, conta Júlia sobre a importância de nos atentarmos hoje para a conservação das nossas peças.

“Ontem mesmo eu estava falando que tenho uma camisa de seda que era da minha bisavó. A camisa chegou nas minhas mãos 80 anos depois, intacta, perfeita, como se fosse nova. E quero que ela me acompanhe por mais 70 anos, no mínimo. Só posso fazer isso dando a mesma importância que a minha bisavó deu. Cuidando dela adequadamente, conservando sua história e suas características”, revela.

Exemplo na prática

Para imprimir esse cuidado e ter peças por mais tempo, é preciso incluir algumas rotinas na hora de fazer a manutenção das roupas. A lã, por exemplo, que acompanha muita gente nas temperaturas mais baixas é um tipo de material que precisa de atenção especial, afinal a lavagem incorreta pode encolher a peça. Dois erros graves podem comprometer as fibras do tecido: colocar a roupa de lã na máquina de lavar ou torcê-la antes de colocar no varal.

Segundo Birgit, a lavagem a seco é a opção ideal – quando o solvente químico substitui a água, num processo semelhante ao de lavagem normal. Neste caso, as fibras do tecido se abrem e a sujeira existente é removida. “Assim, a pessoa pode aproveitar a roupa de inverno por muitos anos”, diz Birgit.

Dicas de conservação

A armazenagem das roupas também é muito importante para conservar peças de frio. E para começar hoje mesmo uma pequena mudança nas atitudes com suas roupas, seguem algumas dicas práticas:

  •  Não usar sacos plásticos porque as peças não respiram e podem mofar.
  • Lavar sempre peças antes de guarda-las quando a estação passar, afinal, mesmo que com sujeira não-visível, é possível que o tempo ocasione manchas.
  • Cuidar com a luminosidade do closet, ou armários abertos, roupas expostas à luz e poeira podem sofrer danos e alteração de cor
  • Atenção para embalagens a vácuo, pois elas podem deformar as peças que não voltam mais ao volume original.
Previous Fast-fashion sustentável e o crescimento de 800% de lixo têxtil
Next Reprojetar o jeans pode mudar a maneira como pensamos a indústria da moda

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *