Conheça INAÁ, moda minimalista para consumidores conscientes

inaa_evenmore_reproducao.png

fotos reprodução

 

por Carmela Scarpi

 

Um alento aos olhos dos aficionados pela estética minimal, a INNÁ está há pouco menos de um ano no mercado online para entregar exatamente o que seu público procura. Baseada em três pilares essenciais, a criadora Aline Minatti, alia minimalismo, consumo consciente e tendências em suas peças e comunicação.

 

[leia até o final e ganhe uma surpresa ;)] 

 

Com números expressivos, sobretudo no Instagram (siga aqui), a adesão do público à marca confirma a aposta da empreendedora em um mix de peças bastante versátil. A intenção era oferecer roupas que coubessem em mais de uma ocasião, para otimizar o uso e trazer praticidade. Do evento mais formal ao dia a dia, dependendo da composição que a pessoa fizer.

Além da versatilidade, o processo produtivo traz o diferencial. Cada peça INAÁ é desenhada, modelada e costurada por Aline. Não apenas a confecção, mas tudo o que gira em torno das operações da marca tem um pensamento voltado à sustentabilidade. “Eu uso marcas de tecido e aviamentos que eu conheço, ou que já pesquisei sobre e, em sua maioria, são brasileiras. As etiquetas e tags também, além de enviarmos uma ecobag junto com a peça”, conta Aline.

 

Mesmo ciente de que o título de “moda consciente” ainda está longe de se concretizar, as pequenas ações que podem ser realizadas, entraram na marca. E todo este cuidado se vê refletido no feedback das clientes. “As pessoas, na maioria, consomem entendendo esse processo e gostam de saber sobre ele. Elas se sentem especiais. É por isso que eu tento deixar isso bem transparente nas redes sociais”, revela.

 

Um pedido, uma peça

 

Sem estoque, Aline administra uma operação de venda baseada no pedido. Com matéria-prima e aviamentos para quatro a cinco peças, é depois de confirmada a compra no site (que hoje aceita apenas cartões de crédito) que ela inicia o processo de confecção da peça. Claro, a logística funciona pelo fato de Aline controlar todas as etapas da operação. Mas, sabendo que a expansão da marca a levará a abrir mão de alguma parte, ela admite que não busca terceirização e, mesmo com um auxiliar, continuará de olho em toda a cadeia.

 

Mesmo com número limitado de unidades por modelo, a solução da INAÁ é oferecer novidades praticamente toda a semana. Com essa dinâmica, Aline mantém o interesse nas postagens e controla suas vendas, que hoje, são feitas por três canais: o e-commerce da marca, pela plataforma Steal the Look e na loja física Espaço MOKO em Curitiba (única para onde entrega algumas peças prontas em estoque).

 

Um desejo empreendedor

 

A INAÁ é fruto de uma vontade de Aline que, desde o início da carreira, quando costurava em uma confecção de sua cidade Nova Trento –SC, queria empreender no segmento. “Não precisava ser uma marca em si, mas eu queria ter algo na área da moda”, lembra.

 

Sabendo das dificuldades do ramo, Aline estudou muito antes de decidir, enfim, abrir a INAÁ. Logo após se mudar para Curitiba, e recém-formada em Moda, ela iniciou um curso de modelagem e, junto com o planejamento de seu negócio – na época um e-commerce de revenda – confeccionava suas próprias roupas.


 

Com o interesse crescente dos amigos, surgiu a ideia e oportunidade de tirar do papel o desejo de ter seu negócio com um diferencial. Parte dos estudos minuciosos da marca, inclusive, é o nome inspirado no pai, Inácio, que faleceu quando Aline tinha 4 anos. A sonoridade e grafia fáceis somam ao significado pessoal num empreendimento que, prestes a realizar um ano, já colhe os frutos de um trabalho muito bem planejado e uma estética inovadora no setor.

 

A INAÁ vende as peças da marca pelos canais:

www.inaa.net.br

www.stealthelook.com.br

Espaço MOKO – Curitiba/PR

 

 

 
 
 
newsletter >
Scroll to top