Daqui

Fash&CO, marca que compartilhou sua construção online, lança primeira coleção

10 de setembro de 2018 - 11h31
Por Even More

Há algumas horas, oito modelos de sapatos e seis de bolsa foram lançados pela plataforma de e-commerce da neobrand Fash&Co. O domingo, dia 9/9, poderia ser apenas mais um início de alguma marca online, mas acontece que a idealizadora Mari Barboza já entrega muito mais do que produtos, há pelo menos um ano, para seus clientes.

Isso porque, antes da Fash&Co, existe a Fash&Business (@fashandbusiness), plataforma pela qual ela vem compartilhando, em tempo real, a trajetória de construção da marca do zero. O insight veio da busca por informações sobre empreendimentos de moda na internet e a constatação da escassez de conteúdo prático sobre o assunto. Formada em Design de Moda e Administração, ela percebeu que a vida prática tornava a execução das suas duas formações um desafio. “Quando fui da teoria para prática eu comecei a perceber que mesmo com as minhas duas formações eu tinha dificuldades”.

foto reprodução (Isabella Glock)

“Um dia eu estava pesquisando sobre e pensei: e se eu compartilhar a minha jornada? De uma forma que ajude as pessoas. Com certeza elas vão me ajudar também, porque quem me encontrasse poderia já ter um negócio”, lembra. #ajudamútua virou o lema e, por lá, Mari dividiu cada passo desde a pesquisa de público e fornecedores, canvas e o que mais seguisse a linha temporal do empreendimento.

Hoje, com a marca recém-lançada, a audiência já construída se revelou a consequência de uma boa estratégia. “A iniciativa surgiu única e exclusivamente com a ideia de ajuda mútua, mas hoje, ou melhor, depois de um tempo, eu já tinha percebido como foi uma estratégia, porque todas as pessoas que me acompanharam na construção podem ser meus futuros clientes”.

Empreender é possível, mas não é fácil

E isso principalmente pelo engajamento trabalhado com base na honestidade e troca. De forma verdadeira e sem romantizações, a Fash&Business compartilhou o passo a passo real da empreitada no novo negócio, inclusive com os pequenos “perrengues” que vêm pelo caminho: como driblar questões orçamentárias e até mesmo vender seus bens para conseguir aquele ou outro curso de especialização.

foto reprodução (Isabella Glock)

“A ideia nunca foi passar a impressão de que é fácil, porque não é. Parece que empreender está na moda, que é um lema. Mas é falta de informação, acho que para empreender você precisa ter um perfil eu estou sentido isso agora”, revela Mari.

Com mais de um ano de construção, a plataforma que seguiu de roteiro para seu próprio negócio criou uma audiência única para a marca que nem havia nascido, além de um conteúdo rico e gratuito disponibilizado pela internet. Para Mari, existe sim a possibilidade de compilar todo esse registro e transformar, de alguma forma, em mentoria ou curso, mas por hora, o foco é a marca.

Diálogo real

Numa rede onde o compartilhamento parece trivial, trazer para a realidade das pessoas esse diálogo de negócios é um diferencial. Ela confessa que já viu nascer projetos do apoio construído pela rede da Fash&Business, o que reafirma, para ela, a opção de dividir algo para além da rotina pessoal e reformas de apartamentos. “Eu recebo muitas mensagens das pessoas falando: Mari, parece que eu realmente fiz parte da construção da marca. E elas fizeram mesmo, tanto é que, no nome, o ‘and Co’ significa todo mundo que me ajudou a chegar até aqui”.

foto reprodução (Isabella Glock)

And Co.

Hoje, a Fash&Co comercializa produtos feitos em couro numa média de preço de R$250/300. Os sapatos vão do tamanho 33 ao 37 – por enquanto –e, as bolsas, desenvolvidas em dois modelos, têm três cores (preto, caramelo e rosa).

Rosa, aliás, é marca registrada desde o instagram de negócios, e está presente também no produto final com a palmilha e interior das bolsas. As compras, exclusivamente online, podem ser retiradas em endereço fixo para Curitiba, e são enviadas para todo o Brasil, em caixas que remete à atmosfera da marca.

Pensando também na sustentabilidade, a Fash&Co traz os sacos em algodão cru como opção a plásticos ou papéis para não só armazenar os produtos, como serem reutilizados como ecobags. Todos são produzidos por uma cooperativa de mulheres da cidade, uma forma de contribuir para o que o mundo trouxe também para Mari.

Fash&Business –
@fashandbusiness

Fash&Co –
www.fashand.co
@fashandco

Comentários

 
|