Daqui

Ações positivas em cadeia trazem sustentabilidade real para a moda

01 de agosto de 2018 - 14h25
Por Even More

Alinhadas com princípios éticos e de sustentabilidade, diversas marcas procuram se enquadrar, hoje, em modelos mais inteligentes de produção na busca por uma moda coordenada com necessidades urgentes do mundo e do consumidor. Neste 01 de agosto, Dia de Sobrecarga da Terra em que esgotamos nossa cota anual de recursos; vamos falar sobre ações positivas aplicadas por aqui, que ajudam a diminuir o impacto ambiental e entregam roupas e conceitos além de tendências de mercado.

Leia mais: Concurso de moda sustentável premiará com 6 mil dólares iniciativa vencedora

A escolha cuidadosa de materiais, por exemplo, é o primeiro passo. Na Reptilia, marca de roupas autorais, os tecidos são de origem exclusivamente brasileira e de certificação socioambiental. Em busca de inovação, a designer Heloísa Strobel, desenvolve coleções com tecidos eco-tecnológicos que utilizam matérias-primas desde sedas de tear manual d’O Casulo Feliz – feitas a partir do casulo do bicho; até malhas biodegradáveis da Santa Constância e tecidos de performance feitos com fio Emana, que auxilia na saúde estimulando a circulação, além de utilizar menos água na fabricação.

foto Renata Wajdowicz – coleção de inverno/18 Floresta Urbana -Reptilia

Aline Minatti, à frente da INAÁ, marca online de roupas minimalistas, também prioriza a fabricação nacional, mas ressalta a fragilidade do mercado em termos de inovação. “Sempre que encontro algum tecido diferente e que carrega algo relacionado a sustentabilidade eu tento incluir na minha cartela. Atualmente estamos testando um tecido ECO que tem na sua composição algodão orgânico e poliéster derivado de garrafas Pet descartadas”, comenta. Aline ainda alerta sobre a busca pelo 100% algodão: “Ao contrário do que muitos pensam ele não é nada sustentável, a quantidade de água utilizada e descartada na produção é gigantesca. Então priorizo tecidos duráveis para que a roupa dure bastante tempo”.

Inteligência de decisões

Na produção, a INAÁ abre o diálogo ao público com a exposição online dos bastidores da confecção 100% interna, feita por Aline. Não existem estoques da marca, as peças são produzidas conforme os pedidos feitos pelo site, o que possibilita a canalização de matéria-prima de conforme demanda. Estratégia semelhante à da Reptilia, que se destaca na utilização inteligente de recursos e operação com estoques reduzidos – um flerte com a produção sob demanda – que evita a necessidade constante de promoções e, consequentemente, a desvalorização tanto do produto quanto do trabalho criativo.

foto reprodução – Aline Minatti e tag da marca

foto reprodução – Atelier INAÁ

“Tecidos de coleções passadas podem ser retrabalhados com tingimentos artesanais, por exemplo. É conseguir reaproveitar um material, que na indústria convencional muitas vezes não é jogado fora, mas colocado para venda a um preço tão barato, que é como se ela estivesse desperdiçando o tecido”, explica Heloísa.

Mudança de perspectivas                                                                                              

“É uma cadeia que está conectada, ela não tem pontas soltas”, continua Heloísa, sobre as operações e construção da loja-atelier, principal ponto de venda da Reptilia. Por lá, o uso de sacolas em papel, a ambientação com marcenaria local e sustentável e peças resgatas de demolições tornam a experiência de varejo uma imersão nos princípios que permeiam a produção. É justamente a funcionalidade de um espaço integrado (loja e atelier estão juntos) que abraça o consumidor e permite que ele circule por cada etapa em um mesmo local, desde a confecção até o produto.

foto reprodução – loja Reptilia

No caso da INAÁ a maior vitrine é a internet, com forte presença online, a dinâmica de postagens que mostram constantemente os bastidores de produção conectam produto e cliente. “Desde o início eu quis transparecer isso às pessoas que me acompanham e sim, isso faz toda diferença na hora da compra. É minha marca registrada, todos adoram quando divulgo os nossos bastidores”, comenta Aline.

Com o conhecimento e a conexão, os clientes vão do desejo ao afeto e a mudança de perspectiva sobre a roupa é determinante para o cuidado com a peça e, consequentemente, com sua durabilidade. Duas marcas de perfis bem distintos encontraram em soluções simples uma dinâmica de produção que representa a fusão entre estética e consciência, num cenário de moda que busca reposicionamentos para vislumbrar um futuro mais sustentável.

Serviço:

Reptilia

Atelier/ Curitiba-PR

Alameda Prudente de Moraes, 1282 – Centro.

Diária/ São Paulo-SP

Rua Artur de Azevedo, 1315 – Pinheiros

@_reptilia

www.reptilia.name

INAÁ

@inaabrand

www.inaa.net.br

Comentários

 
|