Notícias

Abril traz iniciativas de moda e design sobre reintegração social

18 de abril de 2018 - 17h16
Por Even More

Os próximos dias serão agitados. Enquanto vivemos a expectativa da semana de 5 anos de Fashion Revolution (leia sobre as atividades gratuitas aqui), aguardamos, ansiosos, outras duas datas.

Pela capital paranaense será o dia 26, quando – na Galeria Ponto de Fuga -Humberto Campana palestra para convidados no lançamento oficial do projeto Mãos em Ação. A iniciativa tem curadoria da Ôda Design Club, loja comandada por Ticiana Martinez no Centro de Curitiba.

O projeto traz à capital paranaense três coleções (veja box abaixo) desenvolvidas pelo Instituto Campana, associação civil de direito privado sem fins lucrativo, criada pelos irmãos Humberto e Fernando Campana em 2009. Com vendas na loja da Alameda Prudente de Moraes, os objetos vêm carregados de significados por terem sido produzido junto a comunidades diversas com intuito de estimular o aprendizado de um ofício e valorizar a cultura local.

Para Ticiana, o interesse pela parceria com o Instituto se deu justamente pela oportunidade de somar e contribuir com o trabalho social voltado para o design. “Estamos muito felizes por construir a ponte deste trabalho tão consistente e sensível do Instituto Campana e os curitibanos. É uma contrapartida social que sonhamos desde que lançamos a Ôda, em 2016”, conta.

foto – Eduardo Macarios

Na ponte aérea entre design e moda

Desembarcando em São Paulo temos, no início de uma semana de moda, a data 21. Será mais precisamente às 15h30 que o projeto do designer Gustavo Silvestre cruzará a passarela no Pavilhão das Culturas Brasileiras como parte da programação oficial do SPFW.

Batizada de Ponto Firme, a inciativa era levar formação técnica artesã em crochê para os detentos da Penitenciária Adriano Marrey, em Guarulhos. “O tempo dedicado às aulas contribui para a ressocializacão e remissão de pena dos participantes, além de ajudar no desenvolvimento da concentração por meio de uma terapia manual”, conta Gustavo ao portal FFW.

Sobre a dinâmica do projeto, Gustavo, que participava da Casa de Criadores, revela que ia duas vezes por semana à Penitenciária, quando ministra três aulas por vez. “Já fizemos exposição, já participamos da campanha do agasalho do Governo do Estado (SP) e agora o desfile. Os diretores foram gostando da ideia e quando vimos a coisa tomou uma proporção grande”.

A prévia de desfile, que aconteceu no início do mês para os detentos, reforça as expectativas. “O SPFW tem como premissa transformação, educação e formação. Ter esse projeto dentro do evento reafirma nosso compromisso com a sociedade de mostrar que a moda, o design, o fazer criativo podem realmente mudar a vida das pessoas”, ressalta Paulo Borges, diretor criativo do SPFW – também ao FFW.

foto – Daniel Sorrino

Num momento em que se discute a cadeia de produção na busca por uma moda ética, em seu próprio ciclo, nada mais coerente que ressaltar também o papel transformador numa sociedade em busca de integração mais coesa, como os enlaces de uma trama.

 

Ôda Design Club

Rua Prudente de Moraes, 1239 – Centro – Curitiba/PR

Comentários

 
|