A Community Store, Coletiza, reinaugura em Curitiba ampliando acesso a projetos autorais


Em Curitiba, a Coletiza já havia se consolidado como espaço integrativo de criatividade e vem reformulada incluindo novas marcas

Dá para notar a mudança antes mesmo de entrar. Do vidro, que antes era apenas vitrine, vemos hoje uma porta que traz a rua para dentro de um primeiro abraço entre plantas, roupas, design, decor, gastronomia e propósitos coletivos. Hoje, 5 marcas coexistem em harmonia em um espaço – amplo. Enaltecer o design brasileiro e iniciativas que nos pertencem como cultura é o grande apelo das sócias Patrícia Backes e Ticiana Martinez.

Nos seus empreendimentos residentes, a OutFit 4You e a ÔDA Design Club, percebemos essa preocupação pela curadoria característica. Mesmo que entre vestuário e objetivos de design, o ponto de contato está no olhar apurado para inovação, estética e processo produtivo.

apresentação para a imprensa – foto divulgação/ Amanda Lavorato

Um lugar para (se) encontrar

Para quem busca alternativas ao consumo de moda, a Outfit hoje talvez seja a multimarca com a curadoria mais plural dentro da cidade – visando projetos de redução de impacto, inclusive. Desde o último sábado (21) já é possível encontrar modelos selecionados da marca franco-brasileira de apelo à produção consciente, Vert Shoes. Três deles são veganos e um totalmente zero resíduo, como nos conta Patrícia.

Abertura da Coletiza para convidados – foto divulgação/ Amanda Lavorato

Por lá, também é onde encontramos o projeto já não mais tão embrionário, Transmuta. Uma marca de upcycling refinado que ressignifica antigas peças de vestuário (ou outros materiais têxteis) em novas formatações com foco na produção de luxo. Dentro da gama do upcycling, inclusive, entra como nova opção a , marca de bolsas em couro e madeira que iniciou com um projeto de reaproveitamos de materiais. Hoje, apesar de não produzir 100% dentro deste modelo, ainda traz pontos de contato com a redução de impacto – incluindo parcerias sazonais com o estilista mineiro Ronaldo Fraga.

Leia também: Entrevista Desafio Moda Autoral: Transmuta

Na sessão acessórios temos as joias de Bruna Bomfim, fruto de prata proveniente de descarte tecnológico, redesenhadas nas formas orgânicas da marca. E, no outro extremo, os desenhos sólidos e lúdicos da Jana Favoreto, parte deles frutos de alumínio reciclado, também segundo Patrícia.

Abertura da Coletiza para convidados – foto divulgação/ Amanda Lavorato

Ainda pelas araras, encontramos uma linha de produtos da Aleha que, apesar de se propor a usar matérias-primas com menor impacto, infelizmente opta por tecidos com mescla de garrafas pet (já falamos um pouco sobre a falácia deste material por aqui). A linha waterless da Levi’s continua na curadoria e traz a opção de um jeans fabricado com uma quantidade menor de água que a usual.

Leia também: Reprojetar o jeans pode mudar a maneira como pensamos a indústria da moda

Patrícia Backes fala sobre o amadurecimento da curadoria da OutFit 4You em paralelo ao seu próprio – foto divulgação/ Amanda Lavorato

A grande novidade também fica por conta dos projetos futuros da loja, como uma curadoria exclusiva do brechó, também de Curitiba, Lavô Tá Novo. Além dele, a marca da costa verdiana Angela Brito é aposta que aterrissa no próximo mês pela Outfit. O trabalho da marca que conquistou o Brasil pela plataforma da Casa de Criadores, tem estudos de produção desde o algodão certificado à tecnologia têxtil em busca de um design nômade, minimalista e mais consciente.

Para você, para sua casa

“A ideia é irmos evoluindo o leque de opções conforme sentimos a demanda do público, mas isso [redução de impactos] é sempre uma preocupação”, comenta Ticiana Martinez da ÔDA. Na marca que assina uma curadoria de objetos de design, há peças do Instituto Campana, desenvolvidas pelos irmãos junto a comunidades num trabalho de capacitação de habilidades e retorno social. Ao mesmo tempo, encontramos também opções naturais de produtos para bem-estar como a Olea Perfumaria, que desenvolve cosméticos a partir de ingredientes não tóxicos.

Abertura da Coletiza para convidados – foto divulgação/ Amanda Lavorato
Ticiana Martinez explica o movimento da curadoria afetiva da ÔDA Design Club – foto divulgação/ Amanda Lavorato

São tantas marcas e nomes, que não caberia listar. Da seleção especial feita por olhares atentos e que se importam, começa a se construir, por ali, uma nova rotina de consumo – talvez alguma que normatize a existência de possibilidades em marcas com propósitos mais alinhados. Além, de uma experiência multissensorial, a nova Coletiza pode ser sim uma oportunidade para a cidade de Curitiba.

Abertura da Coletiza para convidados – foto divulgação/ Amanda Lavorato

Dentro do grande guarda-chuva do espaço coexistem ainda Australis, nova marca de plantas secas e chás, Madá Pizza e Vinho e A Grande Escola e Humans At Work. Um espaço itinerante trará movimentos artísticos para residirem junto a todo o novo universo construído.

Australis – foto divulgação/ Amanda Lavorato
Australis – foto divulgação/ Amanda Lavorato
Madá – foto divulgação/ Amanda Lavorato
Madá – foto divulgação/ Amanda Lavorato
A Grande Escola e Humans at Work – foto divulgação/ Amanda Lavorato

COLETIZA
Rua Saldanha Marinho, 1230, Centro – Curitiba/PR
@coletiza
Horário de funcionamento: de segunda a sexta, das 10 às 19; sábado, das 11 às 18 horas.
MADA: terça a sábado, das 11 às 23 horas

Previous A nova tendência da Gucci está no carbono neutro
Next 5 marcas que reinventam seus conceitos a partir da matéria-prima

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *